Paulo Dias de Campos


Auxílio-Doença & Reabilitação Profissional

Paulo Dias de Campos
Diretor Centro Brasileiro de Segurança e Saúde Industrial

Nesta semana o Ministro da Fazenda Joaquim Levy, citou a necessidade de uma melhor gestão do "auxílio-doença". Nessa citação ele exemplifica que é inconcebível um trabalhador ficar afastado do trabalho por longo período, sem perspectiva de retorno ao trabalho.

Completaria o raciocínio do Ministro Levy da seguinte maneira: "recebendo o benefício previdenciário, onerando a Previdência e a sociedade, com consequências negativas para a vida familiar, social e profissional desse trabalhador e com reflexos na atividade produtiva nacional".

O atual contexto econômico e político estão dificultando ainda mais a árdua tarefa da Reabilitação Profissional no Brasil. O rombo orçamentário da Previdência Social está como uma das principais pautas para o Brasil sair da crise. Um dos ajustes a serem realizados é a idade mínima para aposentadoria, seguido da necessidade de uma melhorar a gestão do auxílio-doença.

E, como melhorar essa gestão? Com uma perícia médica de qualidade e um Programa de Reabilitação Profissional moderno, eficiente e eficaz!!!

Todos perdem com os afastamentos do trabalho - trabalhador, empresa, governo. O momento é esse... Precisamos urgentemente "ativar" e responsabilizar os agentes responsáveis pela reabilitação profissional, sob pena dessa situação piorar ainda mais o déficit financeiro, social e operacional do nosso país.

Campinas, 16/09/2015