Odinéia Mesquita


Porque implementar um Programa de Saúde Mental Corporativo?

Odinéia Mesquita
Psicóloga, Psicanalista, Assistente Social. Especialista em Saúde Mental

A constituição da OMS afirma: “saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a mera ausência de doença ou enfermidade”. Assim, a saúde mental é mais do que a ausência de transtornos mentais ou deficiências.

“Durante nossa vida adulta, uma ampla proporção do nosso tempo é gasta no trabalho. Nossa experiência no local de trabalho é um dos fatores que determinam nosso bem-estar geral” (OMS). Na medida em que os mercados se tornam mais complexos, competitivos e dinâmicos, novos e maiores desafios são impostos às organizações.

Com isso, aumenta-se a exigência de altos níveis de desempenho o que pode acarretar em sofrimento mental. Os transtornos mentais e comportamentais estão entre as principais causas de perdas de dias de trabalho no mundo. Segundo a OMS, as intervenções de saúde mental precisam ser entregues como parte de uma estratégia integrada de saúde e bem-estar que cubra prevenção, identificação precoce, apoio e reabilitação.

A OMS lembra ainda que as organizações têm responsabilidade de apoiar indivíduos com transtornos mentais tanto para continuar como para retornar ao trabalho.

Por este motivo, o cuidado com a saúde mental (especialmente no ambiente de trabalho) tem sido um tema de crescentes discussões em empresas. Com isso, a necessidade de se elaborar um programa de saúde mental corporativo com uma metodologia objetiva diante dos diferentes problemas de saúde mental nas empresas, auxiliando o seu manejo e a sua prevenção.